Notícias


9 dicas do que fazer em Natal, Rio Grande do Norte [Melhores Passeios]

Publicado dia 09/07/2020

9 dicas do que fazer em Natal, Rio Grande do Norte [Melhores Passeios]

Por casualidade do destino, no final da minha viagem pelo Nordeste me restaram sete dias para aproveitar a capital do Rio Grande do Norte. O que foi ótimo, pois há muito o que fazer em Natal.

É bem verdade que os melhores passeios incluem deslocamentos a municípios vizinhos. No entanto, Natal funciona como a base perfeita para conhecer algumas das paisagens mais lindas do estado.

Com cinco dias inteiros disponíveis dá pra incluir no roteiro as principais atrações deste destino. Saiba, porém, que dias extras para acrescentar pernoites em outras cidades deixam a viagem mais proveitosa.

Para que você entenda o que cada passeio tem a oferecer, e quais deles são melhores pedidas para incluir na sua lista do que fazer em Natal, neste texto eu contarei como é a dinâmica dos principais tours da cidade.

Leia também: 10 pousadas baratas em Natal

Como são os passeios em Natal?

Os passeios em Natal funcionam no mesmo esquema de outras capitais nordestinas. De um modo geral, uma van ou o veículo combinado pegam os viajantes em seu hotel, partem para o itinerário programado e, na volta, deixam cada pessoa na sua respectiva hospedagem.

Os horários variam de acordo com a rota, e, alguns passeios, também sofrem a influência da maré. No caso dos tours que envolvem mergulho em piscinas naturais, é necessário ir no período em que a maré está baixa. O que, algumas vezes, obriga os viajantes a acordarem de madrugada.

Em todas as paradas do itinerário as agências tem um ponto de apoio na praia. Invariavelmente estes restaurantes estarão longe de ser os mais em conta da região – mas faz parte do jogo.

Quem está com os dias contados e não terá tempo a perder durante a viagem a Natal, vale a pena deixar todos os tours agendados antes de sair de casa. Por outro lado, quem prefere procurar agências quando chegar na capital do Rio Grande do Norte, normalmente encontra preços de 10% a 20% mais em conta.

No meu caso, deixei todos os meus passeios previamente reservados com a agência Natal Beach. A empresa me atendeu super bem e todos os passeios ocorreram conforme o programado. O pagamento foi feito dia a dia em cada passeio, em dinheiro.

Nem todas as agências aceitam cartão. E, quando o fazem, muitas delas acrescentam um valor de 5% a 10% por conta das taxas. Se possível, prefira sempre pagar em dinheiro.

O que fazer em Natal

Embora eu tenha feito os passeios em Natal com agência, saiba que em muitos lugares dá pra chegar com veículo próprio. Portanto, para quem gosta de viajar de carro essa é uma possibilidade.

Apenas lembre-se de checar os horários e preços de embarcações para lugares que necessitam de deslocamento de barco. Nos passeios com agências, todos os deslocamentos já estão incluídos no valor.

Confira abaixo quais são os principais passeios em Natal.

*** Os preços indicados são os que eu paguei com a agência Natal Beach, em setembro/2019 ***

1- Bater perna na Praia de Ponta Negra
2- Compras nos Mercados de Artesanato
3- Se aventurar num Passeio de Buggy
4- Mergulhar nos Parrachos de Maracajaú
5- Ficar à toa em São Miguel do Gostoso
6- Se impressionar com o maior cajueiro do mundo
7- Ficar de boa nas Lagoas (Passeio das águas!)
8- Se apaixonar por Pipa

1- Bater perna na Praia de Ponta Negra

Na verdade, não apenas bater perna, mas aproveitar um dia ou período na Praia de Ponta – que é o pedaço de areia mais movimentado e acessível dentro de Natal.

Dona da principal rede hoteleira da cidade, Ponta Negra é a vizinhança onde o viajante encontra tudo o que precisa a uma curta caminhada. Não à toa, é considerada um dos melhores lugares para ficar em Natal.

A orla de Ponta Negra – principalmente o trecho mais próximo ao inconfundível Morro do Careca – é abarrotada de bares, restaurantes, sorveterias, lojinhas e comércios em geral.

A praia em si é bonita e vale a pena gastar um dia por lá. Inclusive, é o local onde se come e bebe mais em conta de frente para o mar – já que nos passeios os preços são mais inflacionados.

Procure se informar, no entanto, sobre o horário da maré baixa, pois, quando está alta, não dá nem mesmo para ficar na areia.

Se estiver com o roteiro apertado e não tiver como dedicar um dia todo por aqui, aproveite as horas livres nos dias de chegada e partida para aproveitar essa praia.

2- Compras nos Mercados de Artesanato

Para quem gosta de artesanato e delícias nordestinas (cachaça, licores, castanhas, pimentas, bolo de rolo…), há vários locais para comprar estes tipos de produtos em Natal.

Em Ponta Negra, o Mercado de Ponta Negra é um dos lugares com localização mais conveniente para os viajantes. Ainda no bairro, mas na Avenida Engenheiro Roberto Freire – que fica a três quadras da orla – há o Shopping do Artesanato Vilarte Ponta Negra e a Feirinha de Artesanato de Ponta Negra.

Na Praia dos Artistas, o Shopping do Artesanato Potiguar é outro local que garante as comprinhas deste gênero. Como está um pouco distante do burburinho de Ponta Negra, os passeios que vão para o norte do estado costumam parar neste mercado quando retornam a Natal.

3- Se aventurar num Passeio de Buggy

Sem dúvida o passeio de buggy pelas enormes dunas de areia do estado é a grande atração de Natal. E não é pra menos, já que realmente há dunas por todos os lados, e, além de garantir uma dose de aventura, este passeio nos leva a cenários lindíssimos.

Saiba, porém, que as dunas mais famosas são as do Parque Turístico Ecológico Dunas de Genipabu, que inclui praia e lagoa, mas fica no município de Extremoz, a 23 quilômetros de Natal.

Os passeios saem por voltas das 9hs da manhã e a primeira parada de cinco minutos para foto é na Praia da Redinha, ainda em Natal mas na zona norte.

Depois desta primeira etapa é que a aventura realmente começa e se segue para as Dunas de Genipabu. O roteiro inclui paradas para fotos na Lagoa de Genipabu e na Praia de Genipabu. Já as paradas para banho são na Lagoa do Pitangui e na Praia do Jacumã.

Além disso, também há um pit stop para os mais corajosos que quiserem escorregar pelas dunas numa espécie de ski-bunda, ou voar de tirolesa com aterrisagem numa lagoa.

O retorno a Natal costuma ser por volta das 15h30.

4- Mergulhar nos Parrachos de Maracajaú

Uma das atrações mais cobiçadas para fazer em Natal é visitar suas piscinas naturais, que no Rio Grande do Norte são chamadas de parrachos. E, um dos lugares mais famosos, são os Parrachos de Maracajaú.

A sete quilômetros da costa da Praia de Maracajaú, no município de Maxaranguape (65 quilômetros de Natal), os Parrachos de Maracajaú são uma boa pedida tanto para quem quer fazer apenas snorkeling como também mergulho com cilindro.

Além de duas horas de mergulho com máscara tendo como base uma plataforma flutuante, o passeio aos Parrachos de Maracajaú oferece tempo livre para curtir a praia de mesmo nome num ponto de apoio que inclui piscina (Parrachos Praia Clube), além de um percurso extra até a Praia de Caraubas – que tem um belo visual onde o rio encontra o mar.

No entanto, se eu tivesse que escolher entre os Parrachos de Maracajaú e os Parrachos do Rio do Fogo, eu ficaria com o segundo. Primeiro, porque eu achei mais bonito. E segundo, porque os Parrachos de Maracajaú raramente estão rasos o bastante a ponto de dar pé. Mesmo para quem sabe nadar acaba sendo chato ter que ficar boiando o tempo inteiro (embora os passeios incluam coletes e boias).

Ainda assim, a beleza dos Parrachos de Maracajaú é incontestável e a estrutura de apoio aos viajantes é melhor.

O horário de saída para este tour varia por causa da maré. As agências se programam para chegar às piscinas naturais no momento em que ela estiver no seu momento mais baixa. Consequentemente, o horário de retorno também é flexível.

» Informações sobre o passeio aos Parrachos de Maracajaú

– Preço: R$ 110,00 (inclui deslocamentos de van, barco, day use no Parrachos Praia Clube e máscara para snorkeling)

– Opcional: Mergulho com cilindro até 3 metros de profundidade (R$ 130,00)

Rio Peracabus

Rio Peracabus (Foto: Blog Volto Logo.net)

5- Ficar à toa em São Miguel do Gostoso

Poucos lugares fazem tão jus ao nome quanto São Miguel do Gostoso. Localizada a 100 quilômetros de Natal, esta cidade é um refúgio com belas praias e uma tranquilidade incomparável.

É verdade que o passeio bate-volta desde Natal não dá a oportunidade de curtir ao máximo a vibe sossegada desta região. No entanto, já dá pra conhecer alguns pedaços de areia e ficar morrendo de vontade de voltar.

Por conta da longa distância a ser percorrida o passeio sai bem cedo de Natal. E atenção, a maioria das agências oferecem saída apenas uma vez por semana.

Além de conhecer praias da cidade, o tour faz paradas no quilômetro 0 da BR 101 e na charmosa Cachaçaria Urca do Tubarão.

Para os esportistas, fica a dica: essa parte do litoral do Rio Grande do Norte é famosa pelas condições ideais para a prática de Kitesurf e Windsurf.

6- Se impressionar com o maior cajueiro do mundo

A Praia de Pirangi do Norte, no município de Parnamirim, a 12 quilômetros de Natal, ostenta um título curioso: é dona do maior cajueiro do mundo.

Cajueiro de Pirangi – como é conhecido – tem mais de cem anos de idade e cobre uma área de 8.500 metros quadrado.

Apesar do título e de movimentar o turismo da cidade, o maior cajueiro do mundo também traz complicações para a região. Afinal, seus galhos não param de crescer e tomam conta das avenidas, chegando a invadir até mesmo residências.

Podar seus galhos traz ainda outros dilemas: especialistas dizem que isso fará com que ele cresça com mais intensidade, aumentando ainda mais o problema com a vizinhança.

Por outro lado, há quem defenda que a poda é necessária justamente por isso, pois, caso não continue crescendo, o Cajueiro de Pirangi corre risco de perder seu título de maior do mundo para outro concorrente brasileiro, o Cajueiro Rei, que fica no Piauí.

Para facilitar a vida dos viajantes que querem conhecê-lo, os passeios pelo litoral sul do estado – como Passeio das Águas e a Rota dos Nativos – incluem uma parada no local. Em todo caso, a linha de ônibus Tabatinga/Pirangi, que passa em Ponta Negra, pode te levar até lá.

7- Ficar de boa nas lagoa (Passeio das águas!)

Um dos principais passeios para fazer em Natal tem como destino o litoral sul do estado e inclui na programação diversas atrações. Conhecido como Passeio das Águas, o tour leva os viajantes a diversos pontos turísticos, como por exemplo, o Centro de Lançamento da Barreira do Inferno, Cajueiro de Pirangi, Mirante da Praia de Tabatinga, Praia de Camurupim e Lagoa de Arituba.

Com paradas para banho tanto na Praia de Camurupim como na Lagoa de Arituba, este é um passeio ideal para quem gosta de águas mansas para se banhar.

Com areia clarinha, água azul e protegida por um arrecife, a Praia de Camurupim é uma das mais lindas do Rio Grande do Norte e se parece com uma piscina de tão calma.

Não muito longe dela, a Lagoa de Arituba completa o passeio com água doce e oferece ainda uma estrutura digna de fotos na beira da lagoa.

Uma alternativa ao Passeio das Águas é o Passeio Rota dos Nativos. As diferenças são que o último, além de ser feito num veículo 4×4 – enquanto o Passeio das Águas é feito em van – a Rota dos Nativos leva os viajantes para mais duas lagoas (além das que já são visitadas no Passeio das Águas!).

Obviamente, o investimento na Rota dos Nativos é maior. Enquanto o Passeio das Águas custa, em média, R$ 40,00 por pessoa, a Rota dos Nativos em 4×4 vale R$ 150,00 por cabeça.

8- Se apaixonar por Pipa

Situada no município de Tibau do Sul, a 85 quilômetros de Natal, a Praia da Pipa é apaixonante em todos os sentidos.

Para começar, sua faixa de areia é belíssima e está ao lado de outras praias tão lindas quanto ela própria, como por exemplo, a Praia do Amor, Praia Baía dos Golfinhos e a Praia do Madeiro.

Sua estrutura de bares e restaurantes é outro destaque que conquista os viajantes. Impossível caminhar pela sua avenida principal e não se encantar com a decoração dos estabelecimentos, e claro, com o sabor das delícias servidas.

Para terminar o dia, engana-se quem pensa que Pipa é uma praia pacata. Pelo contrário. Depois de mais um espetáculo que é a despedida do sol, bares e restaurantes começam a abrir as portas e, alguns deles, só fecham com o raiar do dia.

Tenha em mente, porém, que a Pipa festeira só é possível conhecer dedicando ao menos uma noite na cidade – preferencialmente num final de semana.

Aos viajantes que forem fazer o passeio bate-volta desde Natal, que é perfeitamente viável e passa pelos principais pontos turísticos à luz do dia, ficará faltando conhecer a outra face de Pipa.

 


Notícia disponível em: https://www.voltologo.net/o-que-fazer-em-natal/
Rua Prof. Bilac de Farias, 1842, Capim Macio, Natal, RN, Brasil, 59078-370